Participe ao vivo

  • Musical Brasil Sul

    Rádio Brasil Sul

Participe na programação ao vivo da Brasil Sul!

Jornalismo

«
Anterior
Abraham Weintraub anuncia saída do MEC e deve ir ...
»
Próxima
Prefeitura executa implantação de terceira faixa ...

Bolsonaro defende reabertura do comércio nos estados e municípios


Em live semanal, também falou sobre a prisão de Fabrício Queiroz, ex-assessor do filho, Flávio Bolsonaro

Reportagem de Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta quinta-feira, não estar envolvido no processo que levou à prisão do ex-assessor do então deputado estadual Flávio Bolsonaro, Fabrício Queiroz. Em transmissão semanal, Bolsonaro ressaltou que Queiroz não estava foragido e que não havia mandado de prisão. Para ele, a detenção foi feita de forma “espetaculosa”.

Ainda de acordo com o presidente, a casa dele, em Bento Ribeiro, não foi alvo de buscas e apreensões pela polícia civil do Rio de Janeiro e Ministério Público Estadual, como foi divulgado por alguns veículos.

Durante a Live, o Presidente falou sobre o lançamento do Plano Safra 2020 e ressaltou os esforços que têm sido feitos pelo governo no campo econômico para ajudar a população, em especial os mais vulneráveis. Ele voltou a defender que prefeitos e governadores busquem a abertura do comércio de forma racional e responsável.

Bolsonaro lamentou a quantidade de mortes por Covid-19, mas afirmou que existem informações desencontradas sobre elas, e por isso, o Ministério da Saúde mudou a forma de fazer a tabela divulgada diariamente.

O presidente Jair Bolsonaro comentou ainda a Medida Provisória número 984, assinada na quarta-feira. Segundo ele, a MP do Futebol visa salvar times pequenos, flexibilizando contratos dos clubes com jogadores de futebol durante a pandemia.

A nova regra vale até 31 de dezembro, data do fim do estado de calamidade. A MP também estabelece que pertence ao clube mandante o direito de arena, ou seja, o clube que manda no jogo é quem decide sobre a transmissão em mídias de comunicação. Outro ponto regulamentado pela medida é a de que 5% das receitas vindas dos direitos desportivos audiovisuais dos jogos, sejam distribuídas em partes iguais aos atletas da partida.

Foto: Agência Brasil