Participe ao vivo

  • Musical Brasil Sul

    Rádio Brasil Sul

Participe na programação ao vivo da Brasil Sul!

Jornalismo

«
Anterior
Nuvem de gafanhotos não entrou no Brasil; veja o ...
»
Próxima
Polícia e Sercomtel investigam receptadores de co...

UEL aprova retomada com atividades remotas a partir de segunda


Reportagem de Comunicação UEL

Por 31 votos favoráveis, 12 contrários e uma abstenção, o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE) da Universidade Estadual Londrina (UEL) aprovou nesta quarta-feira (24) a retomada do calendário acadêmico e o retorno das atividades de graduação, por meio de ensino remoto emergencial, a partir da próxima segunda-feira (29), com um prazo flexível para implantação por parte dos colegiados de cursos. As aulas estavam suspensas desde 17 de março e tem mais de 13 mil estudantes. 

Segundo a assessoria de comunicação da universidade, o primeiro semestre letivo deve durar até 18 de dezembro. Já o segundo, está previsto para começar em 18 de janeiro e terminar em 25 de junho de 2021. De acordo com o texto aprovado nesta quarta, o retorno se dará em três fases. Numa primeira etapa as atividades serão predominantemente não presenciais para todos os cursos e séries que tiverem condições de iniciarem as atividades.

A fase dois prevê uma retomada gradual e escalonada com atividades presenciais, associadas às não presenciais, sem data ainda definida para ser iniciada. A terceira e última fase prevê o retorno ampliado das atividades presenciais.

Ano letivo
O ano letivo terá 276 dias e não 200, conforme estão previstos nos calendários regulares. "O objetivo é conceder um prazo ampliado para colegiados, departamentos e centros, possam se adequar ao trabalho remoto e oferecer para 100% aos estudantes", afirmou a assessoria. 

Reunião
A decisão foi tomada durante reunião virtual entre os membros do CEPE, acompanhada por cerca de 250 professores, estudantes e servidores. , por força de Ato Executivo da Reitoria, por conta da evolução dos casos da Covid-19 em Londrina e em todo o território nacional, como forma de evitar a disseminação do vírus.

Foto: Tarobá